Família confirma morte de jovem baleada pelo ex-namorado: ‘ela amava viver’, diz mãe

O suspeito do crime, Messias Cordeiro, foi preso após confessar o feminicídio. O autor também matou um amigo da ex-namorada.

A família de Karolina Pereira, de 22 anos, confirmou, nesta terça-feira (2), a morte da jovem que foi baleada pelo ex-namorado, Messias Cordeiro, em Campo Grande. Ao g1, a mãe da vítima, Patrícia Pereira, relatou a dor e sofrimento da perda da filha.

“Sai do hospital sem um pedaço meu. Minha filha era brilhante, ela amava viver, dançar e estar com os amigos. A minha filha lutava pela vida, era trabalhadora e não tinha medo de nada”, comenta a mãe de Karolina.
A morte encefálica, seguida de uma parada cardíaca, da jovem também foi confirmada pela Santa Casa, hospital que Karolina estava internada há dois dias. A instituição informou que a vítima teve um ferimento gravíssimo na região do crânio.

Patrícia informou que o corpo da filha ainda não foi liberado para o velório, já que deverá passar por exames periciais.

Agora, a mãe da jovem diz lutar por Justiça pela morte da filha. “O homem que fez isso com a minha filha tem que ficar preso, ele calculou tudo, não deu chance para minha filha se defender. Tenho medo que ele faça isso com outras mulheres”.
Além de Karolina, Luan Roberto de Oliveira, de 24 anos, foi morto por Messias no dia do crime, em 30 de abril deste ano, no bairro Jardim Colibri.

Messias Cordeiro, de 25 anos, confessou o homicídio e femicídio em áudios enviados para a mãe de Karolina.

“Fala dona [mãe da suspeita], como ela [Karolina] está? Dei fim nela!”, confessa Messias. Em respeito às vítimas, a íntegra dos áudios não será divulgada.
Nos áudios, a qual o g1 teve acesso, Messias diz que o crime era premeditado e tinha como objetivo matar Karolina. Com frieza, relata detalhes do homicídio e tentativa de feminicídio e confirma a autoria dos disparos.

Messias Cordeiro, junto de um advogado, se entregou à Polícia Civil, na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), no domingo (30). A delegada que acompanha o caso, Eliane Benicasa, relatou que o suspeito confessou todos os crimes e não demostrou arrependimento durante o interrogatório.

“O autor confessou tudo. Ele diz que, após rompimento, há duas semanas, mantinha contato, mas ela [a vítima] passou a rejeitá-lo. Com isso, ele passou a comparecer à residência da vítima, e já tinha presenciado ela chegando na companhia de Luan. Domingo, deixou sua moto estacionada debaixo de uma árvore, viu o casal chegando e disse ter visto os dois trocando carícias”, revelou Benicasa.
Entenda o caso

Luan Roberto de Oliveira foi morto, na madrugada deste domingo (30), após levar um tiro no tórax, na região do coração. O crime aconteceu no bairro Jardim Colibri 2, em Campo Grande, por voltas das 2h50, quando o rapaz levava uma colega de trabalho até a casa dela.

“Ele [autor] sacou a arma de fogo, desferiu um primeiro tiro no pescoço de Karolina, Luan tentou interver, ele desfere um tiro na região do tórax de Luan. Karolina tenta fugir e ele desfere outro tiro nas costas da jovem, que cai ao solo”, detalhou a delegada.

Luan recebeu atendimento médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu ao ferimento e morreu no local. Karolina Silva Pereira, de 22 anos, também foi baleada, na cabeça e no pescoço.

Karolina chegou a ser socorrida em estado considerado grave por uma equipe dos bombeiros militar e transferida para a Santa Casa da capital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu nesta terça.

O suspeito de efetuar os disparos é ex-namorado de Karolina, identificado como Messias Cordeiro de Lima, segundo a polícia. O caso foi registrado como homicídio simples e tentativa de feminicídio, inicialmente. Com a morte de Karolina, o caso será tipificado, também, como feminicídio.

 

By Josias Menezes

Veja Também